Banco Mundial e geopolítica do conhecimento: a privatização do ensino superior

Leila Yatim, Tchella Maso

Resumo


O artigo apresenta uma análise documental (1963- 2002) e bibliográfica sobre a perspectiva de educação adotada pelo Banco Mundial (BM) e reflete sobre suas consequências para a educação superior no Brasil. Adotando o conceito de geopolítica do conhecimento, a partir de autores latino-americanos, sinaliza que a intensificação do multilateralismo educacional, no qual a atuação doBM está associada, é um processo que coaduna com a alteração das competências do Estado e representa o revigoramento de práticas coloniais.Ao prescrever a educação básica como eixo de convergência de políticas públicas, ativismo social e cooperação internacional, o BM contribui para a internacionalização da educação superior sob o interesse comercial de agentes privados.

Palavras-chave: multilateralismo educacional; organizações internacionais; colonialidade; educação básica; Brasil.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .