Canais de aproximação entre o modelo do processo de Bolonha europeu e a educação superior brasileira: apontamentos iniciais

Ralf Hermes Siebiger

Resumo


A presente discussão busca apontar o movimento de ingresso e de influência das diretrizes e medidas do processo de Bolonha no contexto da educação superior brasileira, identificando-se, para tanto, três canais de acesso: a União Europeia, por meio dos projetos Alfa/Tuning – América Latina e Babel, a Unesco, por meio das conferências regional e mundial de educação superior, e, internamente, as próprias políticas governamentais referentes ao Programa Reuni e aos Referenciais para a criação de Bacharelados Interdisciplinares nas universidades federais, as quais possuem princípios e medidas congêneres à reforma europeia. A seleção e a análise dos documentos tratados foram realizadas com base na abordagem do Ciclo de Políticas, no que se refere ao contexto da produção de texto (Mainardes, 2006), e na concepção de uma agenda globalmente estruturada para a educação (Dale, 2004). Observa-se que as aproximações entre as diretrizes e medidas implementadas no processo de Bolonha e nas políticas educacionais brasileiras confluem para a manutenção do regime de acumulação capitalista, que colocam o lucro e a competitividade como o objetivo das reformas educacionais. Questiona-se se é esse o modelo que interessa à educação superior brasileira, considerando o lugar de subalternidade que a Europa reserva à América Latina tanto na economia mercantil como na ‘economia do conhecimento’.

Palavras-chave: política internacional; União Europeia; conferência internacional da Unesco; política nacional de educação superior.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .