Processo identitário de gestores educacionais, da periferia do estado do Rio de Janeiro, revelado pela teoria das representações sociais

Luciano Luz Gonzaga, Denise Rocha Corrêa Lannes

Resumo


Existe uma premissa, suportada por um senso comum, mas ainda muito discutida no mundo acadêmico, em que declara que a qualidade da escola está diretamente relacionada à qualidade da gestão escolar. No entanto, poucas pesquisas são realizadas com o objetivo de identificar as crenças e expectativas dos gestores escolares acerca do papel que realizam em suas respectivas unidades escolares. Assim sendo, a proposta deste trabalho consistiu em identificar e comparar perfis, crenças e expectativas dos gestores que atuam em escolas de alto e baixo IDEB e, a partir dessas informações, inferir o quanto isso realmente impacta ou não sobre a qualidade da educação. O principal aporte teórico para o embasamento da pesquisa foi a Teoria das Representações Sociais e na sua abordagem complementar a Teoria do Núcleo Central, bem como a técnica do discurso do sujeito coletivo. Nossos dados demonstraram crenças distintas entre os gestores acerca da expressão indutora ‘ser diretor(a) de escola’ e um objetivo coletivo para os gestores de escolas de baixo IDEB focado na dimensão infraestrutural.

Palavras-chave: gestão escolar; representações sociais; identidade profissional; IDEB.

 


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .