Uma infância produzida na sociedade de consumidores: práticas da educação Matemática

Alice Stephanie Tapia Sartori, Claudia Glavam Duarte

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir a infância produzida em meio às práticas pedagógicas nas aulas de matemática, especificamente aquelas ligadas ao consumo. Inicialmente apresentamos elementos de um estudo teórico sobre a infância que nos permite compreendê-la como uma construção, contrapondo discursos que a colocam em um lugar naturalizado e essencializado. Em um segundo momento, discorremos brevemente sobre aspectos da sociedade de consumidores em suas interfaces com a infância. A partir deste referencial teórico e de ferramentas advindas da análise do discurso na perspectiva foucaultiana, analisamos alguns exemplares da Revista Nova Escola, publicados entre os anos de 1986 e 2016. A partir de atividades que sugerem situações de compra e venda, análise de lucros ou prejuízos, comparações de preços, dentre outras, sugerimos que o ensino de matemática também contribui, mesmo que de forma sutil, para fabricação da criança enquanto futuro consumidor. Conforme identificamos nas revistas, o enunciado que afirma que “a matemática ajuda a formar o futuro sujeito consumidor” está entrelaçado a outros dois: “é importante trabalhar com a realidade dos alunos” e “é necessário formar um aluno crítico”, tão caros ao discurso da Educação Matemática. Portanto, este estudo pretende contribuir para as discussões no âmbito da formação de professores relacionadas à infância e a constituição de sujeitos por meio de práticas pedagógicas.

Palavras-chave: infância; sociedade de consumidores; educação matemática.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .