O ator e as novas configurações do social na contemporaneidade

Enaide Tereza REMPEL, Roberto Alves de ARRUDA

Resumo


O artigo pretende refletir sobre alguns dos elementos que compõem o novo cenário de organização econômica política e social da sociedade ocidental, em que a centralidade das demandas por direitos e por reconhecimento se
constitui a partir dos conflitos. Neste cenário os atores sociais se mobilizam para institucionalizar agendas de interesses em termos de demandas culturais. Como elementos centrais desses novos processos de organização social
se fazem presentes à luta por direitos ao reconhecimento na diversidade, e as teorizações em torno do tema identificam o declínio das categorias sociais fazendo emergir a noção de sujeito cultural. Na ordem dessa nova
configuração apresenta-se a emergência de atores enquanto sujeitos da ação individual ou coletiva impondo o reordenamento na construção de políticas públicas que passam a ser incrementadas a partir da demanda outorgada
que remete à cultura, gênero, etnia gerando uma pluralidade de atores. A relação capital e trabalho se deslocam para o discurso que envolve a pluralidade e o novo desempenho dos atores a partir da incrementação de capacidades e do
agenciamento de recursos através de projetos.

Palavras-chave: atores; direitos; conflito; cultura; regulamentação.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .