Heterossexismo e sua tenacidade nas políticas educacionais, práticas docentes e aprendizagem

Isaias Batista de Oliveira JÚNIOR, Edyane Silva de LIMA, Eliane Rose MAIO

Resumo


Em uma sociedade como a brasileira constituída e estruturada pela diversidade, dentre elas a sexual, um dos temas que ocupa cada vez mais destaque nas discussões é a multiculturalidade. O incentivo a cultura do reconhecimento da diversidade sexual deve ser vista como um direito e não uma concessão à classe de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Este estudo busca demonstrar a valorização da heterossexualidade em detrimento das outras formas de orientação sexual presente no discurso heterossexista das políticas educacionais, práticas docentes e processos de aprendizagem. Como metodologia para a efetivação do estudo utilizou-se de revisão bibliográfica e análise documental. Os dados obtidos apontam a escola como sendo um ambiente altamente homofóbico, que tende a afastar do seu interior aqueles que não se encaixam em seu padrão de heteronormatividade. Tal característica demonstra a necessidade de implementação de políticas públicas na prevenção e combate à homofobia na escola, bem como a capacitação dos/as docentes envolvidos/as no processo de ensino e aprendizagem, para que os/as vítimas dessa prática excludente não se sintam inferiores ou desvalorizados/as pela sua orientação sexual. Dessa maneira esses indivíduos terão seus direitos preservados, reconhecidos e a possibilidade da realização de seus projetos de vida.

Palavras-chave: heterossexismo; homofobia; escola; políticas públicas; aprendizagem.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .