As práticas sociais de uso da linguagem oral no contexto do dicionário amapês

Maria Zenaide Farias de Araújo

Resumo


Este trabalho desenvolvido na linha de pesquisa de formação de professor, com eixo de interesse na prática pedagógica docente (MAURICE TARDIF; PIERRE BOURDIEU; MIGUEL GONZÁLEZ ARROYO; ANTÓNIO NÓVOA; PHILIPPE PERRENOUD; BÁRTOLO PAIVA CAMPOS) apresenta a síntese dos estudos preliminares de uma pesquisa de doutorado (em andamento), a qual objetiva analisar o discurso docente sobre a prática pedagógica do professor-pedagogo, docente de ensino de língua, concernente à da variação linguística, na 4a série do fundamental, a partir do uso de um léxico (CLÉO FARIAS DE ARAÚJO; MARIA ZENAIDE FARIAS DE ARAÚJO) específico sobre o falar local (amapaense), considerando o paradigma sustentabilidade (ANDY HARGREAVES; DEAN FINK; MICHAEL FURLLAN; MOACIR GADOTTI) na educação linguística (MARCOS BAGNO; LUIZ CARLOS TRAVAGUA E EGON DE OLIVEIRA RANGEL; MARLETE CARBONI TARDELLI; ANA MARIA MATTOS NAVARRO; CARLOS ALBERTO FARACO). A pesquisa é do tipo exploratório-analítica, de metodologia qualitativa, (GREGORIO RODRIGUEZ GÓMEZ; JAVIER GIL FLORES; ANSELM STRAUSS; JULIET CORBIN; EDUARDO GARCÍA JIMÉNEZ e JEAN POUPART et al.) de cunho interpretativista. A teoria da complexidade na linha de Edgar Morin e a Análise do Discurso francesa na ótica de Michel Pêcheux, também sustentaram o fenômeno investigado. Os resultados apontaram que, se o ensino tradicional não investe em atividades de linguagem oral, então a educação linguística não está cumprindo com o seu papel e que esta educação carece ser sustentada. Daí concluir-se da necessidade de ressignificar o ensino de língua materna por meio de um gênero não tão utilizado no âmbito escolar porque traz as marcas de uma identidade que a escola não tem interesse em discutir, muito menos socializar e explorar com a mesma configuração que as demais marcas (as de prestígio legitimado) que são trabalhadas no mesmo âmbito, porém com a intencionalidade divergente, o que nos impede de fazer com que as práticas sociais de uso da linguagem (marginalizada) sejam vistas tão naturalmente quanto à outra de viés elitizado.

Palavras-chave: formação de professor; sustentabilidade na prática pedagógica docente; ensino; linguagem oral; dicionário amapês; teoria da complexidade; metodologia qualitativa.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Área do conhecimento: Ciências Humanas

Ano de fundação: 2010

ISSN: 2236-3165

DOI: 10.30681/2236-3165

Título abreviado: Even. Pedagóg.

E-mail: eventospedagogicos@unemat-net.br

Unidade: Faculdade de Educação e Linguagem - FAEL

Avaliação QUALIS Quadriênio 2013-2016: B1 Ensino; B3 Planejamento Urbano e Regional / Demografia; B4 Ciências Ambientais; B4 Educação Física; B4 Interdisciplinar; B4 Linguística e Literatura; B4 Sociologia.

cope_75 Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

88x31_88 Este periódico está licenciado sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada. http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR