Começar-se no mundo: entre infâncias e linguagem

Simone Berle, Sandra Regina Simonis Richter

Resumo


Para problematizar a concepção pedagógica da linguagem como representação de um mundo previamente dado, o ensaio discute a condição instituída cultural e socialmente do fenômeno da linguagem fixado na palavra dita ou escrita. Esta condição de privilégio nas concepções educativas ocidentais coloca os bebês e as crianças bem pequenas fora de uma “zona intelectual” considerada relevante, já que estão aprendendo a conhecer o mundo adulto das palavras. Tal processo de exclusão é evidenciado pela ampla simplificação pedagógica dos termos narrativa, imitação, ficção, lúdico, imaginação, dada pela desconsideração da experiência temporal e corporal de aprender a estar em linguagem. Na contemporaneidade, a fragmentação da linguagem em sonora, gestual, visual, oral e escrita, tende a assumir o lugar ocupado pelo ensino de conteúdos através das áreas correspondentes de conhecimento. Para encontrar outro caminho, propomos a ampliação da compreensão do fenômeno da linguagem como uma gramática do mundo pela qual aprendemos a habitar o mundo e a nós mesmos, um modo de aprender a dizer e a dizer-se, de tornar o mundo inteligível no e pelo encontro - geracional e de pares, aquele que permite compartilhar e instituir sentidos no mundo e com o mundo.

Palavras-chave: Infância; educação; linguagem; mundo.


Referências


AGAMBEN, Giorgio. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

______ . Ideia da prosa. Lisboa: Edições Cotovia, 1999.

ARENDT, Hannah. A condição humana. 9. ed. Rio de janeiro: Forense Universitária, 2010.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

BACHELARD, Gaston. A dialética da duração. Trad. Marcelo Coelho. São Paulo: Ática, 1988.

BARBOSA, Maria Carmem. Culturas escolares, culturas de infância e culturas familiares: as socializações e a escolarização no entretecer destas culturas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100 - Especial, p. 1059-1083, out. 2007.

______ ; RICHTER, Sandra R. S. Qual currículo para bebês e crianças bem pequenas?. Salto para o Futuro, v. XIX, p. 25-30, 2009.

BÁRCENA, Fernando. El delirio de las palabras: ensayo para una poética del comienzo. Barcelona: Herder, 2004.

______ ; MÈLICH, Joan-Cales. La educación como acontecimento ético: natalidad, narración y hospitalidad. España: Paidós, 2000.

BAUMAN, Zygmunt. Ensaios sobre o conceito de cultura. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

BENVENISTE, Émile. Problemas de lingüística geral. São Paulo: Ed. Nacional, 1976.

BOURDIEU, Pierre. A juventude é apenas uma palavra. In: Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BRASIL. Práticas Cotidianas na Educação Infantil – Bases para Reflexão sobre as Orientações Curriculares. Projeto de Cooperação Técnica MEC / Universidade Federal do Rio Grande do Sul para Construção de Orientações Curriculares para a Educação Infantil. Brasília, MEC/Secretaria de Educação Básica/ UFRGS, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/relat_seb_praticas_cotidianas.pdf. Acesso em: dez. 2012.

CHAUÍ, Marilena. Experiência do pensamento: ensaios sobre a obra de Merleau-Ponty. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

COHN, Clarice. Antropologia da criança. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2005.

CSORDAS, Thomas. Corpo, significado, cura. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

FOERSTER, Heinz von. Visão e conhecimento: disfunções de segunda ordem. In: SCHNITMAN, Dora Fried (Org.). Novos paradigmas, cultura e subjetividade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

KOHAN, Walter Omar. Infância: entre educação e filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

LARROSA, Jorge. O ensaio e a escrita acadêmica. Educação e Realidade. 28(2), jul.-dez. 2003b, p. 101-115. Disponível em: . Acesso em: dez. 2012.

______ . Linguagem e educação depois de Babel. Tradução Cynthia Farina. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

______ . Aprender de oído. In: Intervención en el ciclo de debates Liquidación por derribo: leer, escribir y pensar en la Universidad, organizado por La Central en Barcelona durante abril de 2008.

______ . Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19. p. 20-28 , jan. fev. mar.abr. 2002.

______ . Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. Porto Alegre: Contrabando, 1998.

______ ; SKLIAR, Carlos. Una lengua para la conversación. In: LARROSA, Jorge; SKLIAR, Carlos. Entre Pedagogía y literatura. Miño y Dávila: Argentina, 2005.

LE BRETON, David. As paixões ordinárias: antropologia das emoções. Petrópolis: Vozes, 2009.

MÉLICH, Joan-Carles. Filosofía de la finitud. 2. ed. Barcelona: Herder, 2012.

______ . Antropología de la situación (uma perspectiva narrativa). In: SKLIAR, Carlos; LARROSA, Jorge (comp.). Experiencia y alteridade em educación. Rosario: Homo Sapiens Ediciones, 2009.

MACHADO, Marina Marcondes. Merleau-Ponty e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

MATURANA, Humberto. Emoções e linguagens na educação e na política. 4. ed. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

______ ; MAGRO, C., GRACIANO, M., VAZ, N. (Org.). A ontologia da realidade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1997.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. 2. ed. São Paulo : Martins Fontes, 1999a.

______ . O visível e o invisível. 3. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1999b.

______ . A prosa do mundo. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

______ . Psicologia e pedagogia da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

______ . Signos. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

NARODOWSKI, Mariano. Comenius e a educação. 2. ed. Belo Horizonte: Autentica, 2006.

RICHTER, Sandra. O sensível sob o admirar filosófico. Educação e Realidade, v. 30, p. 187-202, 2005.

SERRES, Michel. Variações sobre o corpo. Rio de Janeiro: Bertrand, 2004.

STEINER, George. Depois de Babel: questões de linguagem e tradução. Curitiba: Editora UFPR, 2005.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Área do conhecimento: Ciências Humanas

Ano de fundação: 2010

ISSN: 2236-3165

DOI: 10.30681/2236-3165

Título abreviado: Even. Pedagóg.

E-mail: eventospedagogicos@unemat-net.br

Unidade: Faculdade de Educação e Linguagem - FAEL

Avaliação QUALIS Quadriênio 2013-2016: B1 Ensino; B3 Planejamento Urbano e Regional / Demografia; B4 Ciências Ambientais; B4 Educação Física; B4 Interdisciplinar; B4 Linguística e Literatura; B4 Sociologia.

cope_75 Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

88x31_88 Este periódico está licenciado sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada. http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR