Estágio de docência em biologia: relatos de experiências e constituição de identidades docentes

Aline Silva Maciel, Russel Teresinha Dutra da Rosa

Resumo


Este estudo investiga a constituição de identidades em relatos de professores sobre suas experiências no Estágio de Docência em Biologia, no Ensino Médio, a partir da Análise de Discurso de Michel Pêcheux, conforme Eni Orlandi. Na constituição das identidades foram evidenciados os sentidos: a docência para a participação; o contexto do trabalho docente; relacionamento com os alunos e sentimentos quanto à prática pedagógica. Os estagiários atribuíram importância ao relacionamento com os alunos, cultivaram o diálogo e o respeito mútuo, procurando legitimar sua posição de professores de Biologia.

Palavras-chave: identidade docente; formação de professores de biologia; estágio docente; diário; análise de discurso.


Referências


ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

AQUINO, J. G. Autoridade e autonomia na escola: alternativas teóricas e práticas. 7 ed. São Paulo: Grupo Editorial Summus, 1999.

ARRUDA, S. M.; BACCON, A. L. P. O professor como um “lugar”: uma metáfora para a compreensão da atividade docente. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 9, n. 1, p. 1-20, 2007. Disponível em: Acesso em: 10 mar. 2015.

BAKER, J. A. Contributions of teacher: child relationships to positive school adjustment during elementary school. Journal of School Psychology, n. 44, p. 211-229, 2006.

BOLÍVAR, A.; DOMINGO, J.; FERNÁNDEZ, M. La investigación biográfico-narrativa en educación: Enfoque y metodologia. Madrid: Editorial la Muralla, 2001.

BRONCKART, J. P. Atividades de Linguagem, textos e discursos. São Paulo: Educ, 1999.

BRONCKART, J. P.; MACHADO, A. R. Procedimentos de análise de textos sobre o trabalho educacional. In: O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, p. 131-163, 2004.

CAVACO, M. H. Retrato do professor enquanto jovem. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 29, p. 121-138, 1990.

FERREIRA, M. C. L. Análise do discurso e suas interfaces: o lugar do sujeito na trama do discurso. Organon, Porto Alegre, v. 24, n. 48, p. 17-34, jan./jun. 2010. Disponível em Acesso em: 22 abr. 2015.

FOUCAULT, M. Estratégia, Poder e Saber. Org. e seleção de textos: Manoel Barros da Motta; Trad: Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

GREGOLIN, M.R.V. A análise do discurso: conceitos e aplicações. ALFA, Revista de

Lingüística da Universidade Estadual Paulista, Unesp, SP, v. 39, p. 13-21, 1995. Disponível em Acesso em: 22 abr. 2015.

KAMII, C. A criança e o número: implicações educacionais da teoria de Piaget para a atuação com escolares de 4 a 6 anos. 11. ed. Campinas, SP: Papirus, 1990.

LARROSA, J. Experiência e alteridade em educação. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.19, n.2, p.04-27, jul./dez., 2011. Disponível em: Acesso em: 04 maio 2015.

LARROSA, J. Tecnologias do eu e educação. In. SILVA, T.T. (Org). O Sujeito da Educação: Estudos Foucaultianos. Petrópolis RJ: Vozes, 1994.

LIBERALI, F. C. O desenvolvimento reflexivo do professor. The Especialist. São Paulo, v.17, n.1, p.19-37, 1997.

LIBERALI, F. C. O diário como ferramenta para a reflexão crítica. 166 f. Tese (doutorado) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1999.

MACHADO, A. R. O diário de leituras: a introdução de um novo instrumento na escola. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MAGALHÃES, M. I.; COSTA, P. H. da. Discurso assimétrico: a interação professor- aluno. Trabalhos em Lingüística Aplicada, n. 12, p.147-164, 1988.

MARIANI, B. Ideologia e inconsciente na constituição do sujeito. Gragoatá, n. 5, p.87-95, 1998.

NÓVOA, A. Relação escola-sociedade: novas respostas para um velho problema. In: SERBINO, R. V., RIBEIRO, R., BARBOSA, R. L. L. e GEBRAN, R. A. (orgs.) Formação de professores. São Paulo: Editora da Unesp, p. 19-40, 1998.

NUNES, C. M. F. Saberes docentes e formação de professores: um breve panorama da pesquisa brasileira. Educação & Sociedade, v. 22, n. 74, p. 27-42, abril, 2001. Disponível em: Acesso em: 22 mar. 2015.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 11 ed. Campinas: Pontes, 2013.

ORLANDI, E. P. Discurso, imaginário social e conhecimento. Em Aberto, Brasília, ano 14, n.61, jan./mar., p. 53-59, 1994. Disponível em: Acesso em: 15 maio 2015.

PÊCHEUX, M. Apresentação da AAD. In: GADET, F., HAK, H. Por uma análise automática do discurso (Uma introdução à obra de Michel Pêcheux). Campinas: Pontes, 1990.

PÊCHEUX, M.; FUCHS, C. A propósito da Análise Automática do Discurso: atualização e perspectivas. In: GADET, F.; HAK, T. 1993. Por uma análise automática do discurso. Trad. de Bethania Mariani et al. 2ª ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1993.

PÉREZ GÓMEZ, A. I. A função e formação do professor/a no ensino para a compreensão: diferentes perspectivas. In: GIMENO SACRISTÁN, J. ; PÉREZ GÓMEZ, A.I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998.

PERRENOUD, P. Formar professores em contextos sociais em mudança. Prática reflexiva e participação crítica. Rev. Brasil. Educ., n. 12, p. 5-21, set-dez 1999.

PESSANHA, E. C.;DANIEL, M. E. B.; MENEGAZZO, M. A. Da história das disciplinas escolares à história da cultura escolar: uma trajetória de pesquisa. Rev. Brasil. Educ. n.27, p.57-69, 2004.

PIMENTA, S. G. Formação de Professores - Saberes da docência e identidade do professor. R. Fac. Educ. São Paulo, v. 22, n.2, p. 72-89, jul./dez. 1996.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. et al. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 4. ed. São Paulo: Cortez, p. 15-34, 2005.

PORLÁN, R; MARTIN, J. El diario del profesor: un recurso para la investigación en el aula. 5. ed. Sevilha: Díada. 1997.

SANTOS, C. A. S. Dilema na sala de aula: indisciplina e autoridade. In: Formação de Profissionais e a criança-sujeito, ano 7, 2008, São Paulo. Disponível em:

Acesso em: 2 jun. 2015.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem.Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SMYTH, J. Reflective Practice in Teacher Education. Australian Journal of Teacher Education, n. 18, v.1, 1993.

SOUZA, J. G. V.; GAMA, M. L. S. O desenvolvimento da reflexividade e as ações que conduzem à formação do professor reflexivo-crítico. In: VI Encontro de pesquisa em Educação, 2010, Teresina. Anais. Universidade Federal do Piauí, p.11, 2010.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

VIÑAO, A. A história das disciplinas escolares. Trad. Marina Fernandes Braga. Rev Brasil. de Hist. da Educ., n.18, p. 173-215, 2008.

ZABALZA, M. A. Los diarios de clase. Documento para estudiar cualitativamente los dilemas prácticos de los profesores. Barcelona: Promociones y Publicaciones Universitarias, S. A. 1991.

ZANON, D. A. V. Aprendizagens da docência reveladas em narrativas reflexivas por licenciados em química. Ciência & Ensino, v. 3, n. 2, p. 18-31, 2014.

ZEICHNER, K. M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educ. Soc., Campinas, vol. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Área do conhecimento: Ciências Humanas

Ano de fundação: 2010

ISSN: 2236-3165

DOI: 10.30681/2236-3165

Título abreviado: Even. Pedagóg.

E-mail: eventospedagogicos@unemat.br

Unidade: Faculdade de Educação e Linguagem - FAEL

Avaliação QUALIS Quadriênio 2013-2016: B1 Ensino; B3 Planejamento Urbano e Regional / Demografia; B4 Ciências Ambientais; B4 Educação Física; B4 Interdisciplinar; B4 Linguística e Literatura; B4 Sociologia.

cope_75 Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

88x31_88 Este periódico está licenciado sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada. http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR