JUDY MOODY: A REPRESENTAÇÃO DO SUJEITO FEMININO MIRIM

Cecil Jeanine Albert Zinani, Elisa Capelari Pedrozo

Resumo


O presente trabalho visa examinar a configuração do sujeito feminino na obra Judy Moody – Judy de bom humor. Judy de mau humor, sempre Judy Moody (2000). O estudo fundamenta-se nas singularidades que compõem a representação da personagem que, ainda em tenra idade, consegue apresentar um comportamento rumo à emancipação feminina. Essa independência pode ser verificada a partir da construção do contexto social no qual a personagem se encontra inserida, demonstrando a igualdade de direitos femininos e masculinos. A personagem mirim é analisada por meio da teoria crítica feminista, exposta por Alves e Pitanguy (1985), Rocha-Coutinho (1994) e Strey, Cabeda e Prehn (2004); a questão da infância por Zilberman e Magalhães (1982), que promovem reflexões sobre a representação da criança na sociedade contemporânea, bem como na recepção do leitor.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Visitas:

 

Este periódico está licenciado sob Creative Commons BY 3.0

 

ISSN 1983-8018

Avaliação Qualis B2 (2015-2016)

Os artigos publicados na REVISTA DE LETRAS NORTE@MENTOS são indexados em:

imagem_indexadores_512

Resultado de imagem para periodicos capes