22/05/2018  14:10 – por Saidy K. M. Souza

O crescimento das redes sociais através de aplicativos e sites tem proporcionado o desenvolvimento acelerado da cultura do compartilhamento na sociedade. Estamos dividindo cada vez mais os momentos de nossas vidas de forma instantânea através de fotos, filmagens, textos e arquivos de áudio. Também utilizamos os canais de comunicação para propagar ideias, convocar pessoas para eventos e discutir os mais variados temas.

Também não são raros os casos em que essa conectividade é utilizada visando dar maior segurança ao usuário, seja através de grupos on-line de “seguranças do bairro” onde os moradores compartilham informações sobre a rua em que moram, “botões de pânico” em aplicativos ou na forma de posts informativos, como os utilizados pelo Facebook para que pessoas residentes em locais afetados por tragédias possam informar sua situação para os familiares e amigos.

Depois dos últimos casos de violência contra mulheres registrados próximo ao Campus da Unemat em Sinop, a acadêmica  Roseni Fernandes de Oliveira Penteado, da 8ª fase do curso de pedagogia, resolveu desenvolver uma ação que pudesse dar maior segurança no trajeto entre a Universidade e a residência ou local de trabalho dos acadêmicos. A saída encontrada foi a formação de grupos de “Carona Solidária”  para proporcionar maior segurança.

Segundo Roseni a proposta é que sejam criados grupos em aplicativos  para smartphone e estipulados pontos de encontro em locais de fácil acesso e seguros, como postos de gasolina ou supermercados, para que os caroneiros possam se encontrar. As rotas dependem dos locais onde cada um estará e haverá sempre uma rotina de aviso geral no grupo como ” Cheguei em casa” ou “Acabei de pegar carona com…” para que os participantes se auto-fiscalizem e possam identificar pessoas  suspeitas infiltradas.


“Com a abertura da nova Unemat no bairro Aquarela será ainda mais importante a carona, pois o local é mais distante para a maioria dos alunos e as ruas principais ainda possuem muitas áreas sem casas” (Roseni F. O. P)


Roseni destacou que a carona não exige que a pessoa sequer tenha carro, pois pode assumir a forma de “comboios” com motos ou bicicletas, sendo que o mais importante é que os envolvidos atuem de forma colaborativa para a segurança recíproca.  Ela lembra ainda que existe uma ação semelhante na UFMT , mas por enquanto a proposta é começar com os alunos da própria Unemat e posteriormente expandir para os acadêmicos de todas as faculdades que ficam no trajeto. Os interessados serão cadastrados por Roseni e devem entrar em contato no telefone 66 99609 3646.

Cabe ainda destacar que em grandes centros outro aspecto importante da carona solidária é o fato desta proporcionar a melhoria do trânsito com a diminuição do volume de veículos nos horários de pico, além da contribuição para a diminuição da emissão de gases prejudiciais ao meio ambiente.